TURISMO -» ANGOLANOS SÃO OS QUE MAIS GASTAM NO PORTO E NORTE DO PAÍS

Um estudo sobre o perfil dos turistas que procuraram Porto e Norte de Portugal em 2014 conclui que o valor do consumo médio por pessoa subiu consideravelmente, face a 2013, e que os angolanos foram os que mais gastaram. As conclusões desse estudo, realizado pelo Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo em parceria com o Turismo do Porto e Norte de Portugal e com o Aeroporto do Porto, a que a Lusa teve hoje acesso, mostram que o valor do consumo médio por pessoa subiu consideravelmente, face ao ano anterior, fixando-se nos 451 euros. Segundo os investigadores trata-se de um aumento de 160 euros comparativamente aos 291 gastos em 2013. Este valor pode ser explicado pelo facto de, em 2014, cada turista ter gastado, em média, 68 euros por noite, mais 19 euros que no ano anterior. Por mercado emissor, o relatório indica que os turistas angolanos são os que mais gastam no Porto e no Norte de Portugal, com um consumo médio por pessoa/noite de 191 euros. São também os que permanecem mais tempo na região. Em termos de consumo, seguem-se brasileiros e espanhóis, com 122 euros e 88 euros por pessoa/noite, respectivamente. Considerando apenas o segmento em lazer/férias, os brasileiros são os que mais gastam (124 euros), seguindo-se ingleses (88 euros) e espanhóis (87 euros).
França e a Espanha são os principais mercados emissores de turistas estrangeiros para a região, através do aeroporto Francisco Sá Carneiro. Em relação às companhias aéreas mais utilizadas pelos turistas, Ryanair e TAP são as que apresentam maiores quotas de mercado, transportando, em conjunto, 72,5 por cento do volume total.

TIME OUT LONDON RECOMENDA LISBOA AOS “FESTIVALEIROS”

Lisboa é o destino “festivaleiro” ideal para quem quer uma oportunidade de juntar a boa música a umas férias “à séria”. A opinião é da prestigiada revista britânica Time Out London, que reuniu 10 boas razões para os amantes de festivais passarem, este ano, pela “charmosa” e “vibrante” capital portuguesa. De acordo com a publicação cultural, os “festivaleiros” que visitarem Lisboa este Verão têm, por um lado, a oportunidade de experienciar mais uma edição do NOS Alive, considerado um “excelente evento” (com nomes com Muse ou Mumford and Sons), podendo, ao mesmo tempo, “absorver cultura, arte e – sim – as bebidas alcoólicas locais”. Descrevendo Lisboa como a “cidade mais ‘cool’ da Europa”, “bonita” e “de arquitetura inspiradora”, a Time Out London assegura, num artigo publicado há cerca de duas semanas, que a capital é “um ótimo local para um fim-de-semana selvagem”, com uma ampla oferta de bares com horários tardios. Mas, mesmo com tanta animação noturna, “é tudo muito civilizado”, garante a revista, elogiando as “ruas brilhantes”, a calçada portuguesa e “as casas coloridas que saltam das colinas” e transformam Lisboa num local “de singularidade fascinante”.

VISITAS NOTURNAS GRÁTIS AO PARQUE E PALÁCIO DA PENA

O parque e o Palácio da Pena, em Sintra, estarão abertos na noite de 4 Julho, com entrada livre, num evento solidário: para entrar basta levar um bem alimentar. A iniciativa inclui a possibilidade de participar em visitas guiadas ao Parque que conduzem ao ponto mais alto da Serra: a Cruz Alta, e o restaurante e cafetarias estarão abertos para quem quiser aproveitar a noite de Verão e a vista para a Serra de Sintra. O transporte gratuito de autocarro estará também assegurado, de e para a estação de comboios de Sintra. As visitas guiadas são as únicas atividades que se pagam, sendo que cada uma delas custa 5 euros. Esse valor será entregue à União das Freguesias de Sintra. A Parques de Sintra abre estes espaços à noite (das 20h00 às 00h00) respondendo a inúmeros pedidos regulares nesse sentido mas, também, aliando a ocasião à recolha de alimentos e fundos para instituições de solidariedade.

TURISMO: CNN APAIXONADA PELO CENTRO DE PORTUGAL

Coimbra é uma das cidades que encantaram a cadeia televisiva norte-americana. O centro de Portugal é a mais recente paixão da CNN. A cadeia televisiva norte-americana deixou-se seduzir pelos encantos da Costa de Prata e publicou, esta quinta-feira, um artigo em que tece rasgados elogios ao património, às praias, à gastronomia, às paisagens e às cidades que compõem a região central do país. “A ‘Costa de Prata’ e o resto do centro de Portugal albergam um vasto conjunto de segredos muito pouco explorados e injustamente ignorados por quem visita o país e, tipicamente, passa apenas por Lisboa ou pelo charme vínico do Porto”, escreve Paul Ames, autor do artigo e jornalista ‘freelance’ que vive, atualmente, na capital portuguesa. Entre as maiores qualidades desta zona do país estão, desde logo, as praias soalheiras e a bela linha costeira, afirma Ames. Embora admita que é a Nazaré a vila que mais turistas atrai neste momento, Ames faz questão de destacar outros “paraísos”, como Óbidos, Figueira da Foz, Leiria ou Peniche, “que se tornou uma meca internacional do surf”. Outro grande atrativo do Centro é a possibilidade de hospedagem em “palácios luxuosos”, bem como castelos, conventos e mansões transformadas em alojamentos turísticos. “Entre os maiores está o Palácio do Bussaco, no Luso, construído pelo rei D. Carlos I para funcionar como um retiro romântico” e que funciona como hotel desde 1917″, afirma o jornalista.

A CIDADE DE LISBOA RECEBE 150 INVESTIDORES DE 30 PAÍSES

Lisboa vai receber 150 importadores de mais de 30 países interessados em conhecer oferta das Pequenas e Médias Empresas (PME) portuguesas. O “Portugal International Business Meeting” acontece nos dias 25 e 26 de Junho, no Centro de Congressos de Lisboa. A Associação Industrial Portuguesa (AIP) está a organizar o “Portugal Internacional Business Meeting”, que vai trazer a Portugal 150 investidores de mais de 30 países para reuniões bilaterais (B2B) com os empresários portugueses, previamente agendadas e preparadas com o apoio de uma equipa de profissionais especializados. O objetivo do “Portugal Internacional Business Meeting” é valorizar e dar a conhecer os produtos e serviços das empresas portuguesas aos potenciais compradores e investidores internacionais, de forma a incrementar a capacidade exportadora das empresas nacionais e diversificar os mercados. As 150 empresas importadoras esperadas no “Portugal International Business Meeting” são oriundas dos países lusófonos, da Europa, Norte de África e África Subsariana, Ásia, Médio e Extremo Oriente, América do Norte e Latina, revela a AIP em comunicado.

LISBOA É A 35.ª CIDADE MAIS PROCURADA POR ESTRANGEIROS

O estudo Global Destinations Cities Index para 2015 revela que, no último ano, Lisboa subiu três lugares no ranking das cidades com uma maior procura por visitantes estrangeiros, passando a ocupar o 35.º lugar da tabela geral e subindo um lugar na tabela europeia para a 14.ª posição.  Segundo a nova edição do Global Destinations Cities Index da MasterCard, o aumento da procura em Lisboa cresceu 4,9% relativamente a 2014, tendo-se fixado em 3.564.041 visitantes internacionais contra 3.397.255 no ano anterior.  Já no que se refere à despesa realizada pelos visitantes estrangeiros em Lisboa verifica-se um decréscimo de 0,3%, ou seja, uma quebra da receita de 1, 840 milhões de dólares em 2014 para 1, 834 milhões no ano corrente. Também a média de gastos por visitante desceu de 541 para 515 dólares.

LISBOA JÁ TEM HOSPITAL VETERINÁRIO SOLIDÁRIO

O Hospital funciona no Bairro da Horta Nova, no Lumiar. O espaço, da responsabilidade da organização não-governamental SOS Animal, abriu portas a semana passada no Bairro da Horta Nova, no Lumiar, e funciona 24 horas por dia, “sempre com médicos veterinários de serviço”. Embora as obras estivessem finalizadas desde Setembro de 2014, só agora este hospital social animal obteve o licenciamento necessário para entrar em funcionamento. Aberta ao público em geral, a instituição hospitalar presta cuidados veterinários a baixo custo de segunda a sábado entre as 09.00h e as 21.00h e dispõe, ainda, de horários de urgência. De acordo com o site oficial da SOS Animal, www.sosanimal.ong.pt, projeto propõe-se solucionar dois grandes problemas. Um deles diz respeito, desde logo, ao crescente número de famílias “com dificuldades económicas em anos de austeridade e que não têm onde se dirigir para ajudar o seu animal a preços acessíveis ou gratuitamente”. Além disso, explica a organização, o hospital ambiciona dar uma nova esperança aos animais abandonados que, muitas vezes, “morrem sem qualquer tipo de assistência, mesmo quando poderiam sobreviver”. 

Contactos:

Não hesite em contactar-nos para tirar dúvidas ou pedir uma simulação de valores!