COM QUE ANTECEDÊNCIA DEVE RESERVAR HOTÉIS PARA CONSEGUIR O MELHOR PREÇO?

Sabia que reservar um quarto de hotel vários meses fica geralmente mais caro? Ao que contrário do que pensa a maioria das pessoas, reservar com muita antecedência ou de véspera o resultado é semelhante, concluiu um estudo do site comparador de preços de hotéis www.trivago.com.O mesmo estudo conclui que a altura ideal para conseguir o preço mais baixo na reserva de hotéis é com um mês de antecedência em relação à data da estada. Esta pesquisa revela também que as viagens de última hora podem ser uma opção rentável. Já planear com antecedência raramente compensa. Ainda assim, há algumas variações tendo em conta a realidade de cada país. Ao viajar, por exemplo, no Reino Unido, os hotéis devem ser reservados com quatro a cinco semanas de antecedência para as tarifas serem as mais baixas. Já em Espanha o hotel deve ser reservado com quatro a sete semanas, em Itália três a seis, na Alemanha três a quatro e em França duas a cinco semanas antes, onde os hotéis podem ser reservados com apenas quinze dias de antecedência de forma a obter os melhores preços. Quando a reserva é feita dentro destes parâmetros, os preços são geralmente abaixo da média mensal, independentemente do mês de viagem. Isto significa que essas diretrizes podem ser aplicadas tanto para viagens de verão, como de inverno.

FÉRIAS: PORTUGAL É O DESTINO DE ELEIÇÃO DOS PORTUGUESES

Este ano, graças aos voos ‘low-cost’, os Açores entraram no ‘top 5’ de destinos preferidos dos portugueses
Este ano, 90% dos portugueses vão gozar férias “cá dentro”. Portugal é, em 2015, o destino de eleição dos veraneantes nacionais, que apostam cada vez mais no aluguer de alojamento para férias e que, embora continuem a preferir o Algarve, estão, progressivamente, a deixar-se apaixonar pelos Açores.

IDOSOS PORTUGUESES CONFESSAM (E REALIZAM) SONHOS

“O que quer fazer antes de morrer?”. Foi a esta pergunta que responderam, no âmbito de um projeto fotográfico desenvolvido pelo Centro Comunitário da Gafanha do Carmo, em Ílhavo, cerca de três dezenas de idosos portugueses, provas vivas de que nunca é tarde para sonhar (e, muito menos, para realizar sonhos). Inspirada pelo projeto norte-americano “Before I die…”, a iniciativa “Antes de morrer quero…” reuniu os idosos que frequentam aquele centro aveirense e pediu-lhes que partilhassem um desejo ainda por concretizar. As respostas – desde “andar de avião” a “ver um jogo do Benfica ao vivo” ou “conhecer o Marco Paulo” – foram captadas em fotografias divulgadas, em Junho, na página oficial do Centro Comunitário da Gafanha do Carmo, onde rapidamente se tornaram virais, arrecadando milhares de ‘gostos’ e partilhas e outros tantos comentários.

OS TURISTAS PREFEREM A UNIVERSIDADE DE COIMBRA E O SANTUÁRIO DE FÁTIMA

A Universidade de Coimbra (44,7 por cento) e o Santuário de Fátima (44,4 por cento) são as principais atracões turísticas do Centro de Portugal, enquanto Coimbra (68,5 por cento) e Aveiro (22,9 por cento) são as cidades mais reconhecidas da região, indicam dados do primeiro Barómetro da Marca Centro de Portugal. Neste contexto, foi apurado que cerca de 30 por cento dos inquiridos costuma fazer férias ou visitar a região, sendo que destes mais de metade (53 por cento) faz uma visita anual com duração inferior a três dias. Dos inquiridos, 42 por cento prefere as unidades hoteleiras e 30,6 por cento opta pela casa de familiares ou amigos. Quanto aos gastos médios nestas estadas, 44 por cento afirma despender, em média, até 150 euros. No que se refere à gastronomia, o leitão, os ovos-moles e a chanfana são apontadas como as iguarias incontornáveis. Ao nível dos costumes, destacam-se a queima das fitas e as tradições académicas e nas praias ressaltam as da Figueira da Foz e da Nazaré. Nos eventos anuais, sobressaem a queima das fitas de Coimbra, as comemorações do 13 de maio e a Feira do Chocolate de Óbidos. A simpatia e o acolhimento foram entretanto avaliados com bom ou excelente por 82,7 por cento dos inquiridos que fizeram férias ou visitaram esta região. A avaliação da qualidade global da experiência turística no Centro de Portugal é, assim, muito favorável, sendo que 98 por cento recomendaria a Região Centro a terceiros.

LISBOA TEM UM DOS MELHORES TERRAÇOS DO MUNDO

O terraço do hotel Epic Sana Lisboa é um dos melhores do mundo, garante o portal de viagens e turismo de luxo Condé Nast Johansens. A panorâmica caraterística de Lisboa que se avista a partir do 9.º andar onde se situa este terraço, tendo o Rio Tejo por limite, é elogiada pelo portal, que junta ao texto uma foto ilustrativa. Contudo, prossegue, a visita não ficaria completa sem um mergulho na piscina ou uma ida até ao bar UpScale para saborear um cocktail Colada.

O QUE FAZER EM LISBOA COM 50€? O EL MUNDO TEM RESPOSTAS

O jornal espanhol El Mundo recomenda o que fazer em Lisboa com uma nota de 50 euros no bolso, apesar de, como salienta, os preços não serem já o que eram. Começando por referir que Portugal sempre foi uma opção económica para os turistas espanhóis, o portal de viagens do jornal, o ocholeguas.com, refere que continua a ser possível desfrutar do país vizinho com pouco dinheiro. Apesar de o IVA em Portugal ser de 23 por cento e de o custo de vida não ser hoje em dia tão acessível como dantes, uma nota de 50 euros dá ainda para fazer muita coisa em Lisboa, garante Javier Mazorra, o articulista.

LISBOA É A 6.ª CIDADE MAIS ECONÓMICA PARA OS TURISTAS

A cidade de Lisboa é a sexta mais económica para os turistas. Esta foi uma das conclusões do TripIndex Cities, o ranking elaborado pelo TripAdvisor e pelo trivago que compara os custos de uma viagem de três dias, durante os meses de verão, para as 40 principais cidades do mundo. Em Lisboa, o preço médio de comida e bebida para dois ronda os 31,75 euros, porém se for jantar pode chegar aos 49,25 euros. No âmbito dos transportes, o índice conclui que uma viagem de ida e volta de táxi se situa nos 22,61 euros. Quanto ao entretenimento uma atração para duas pessoas na capital tem um custo médio de 50,40 euros. Já a estadia, por noite, situa-se nos 115,77 euros. Somado, uma viagem de três dias tem um preço total de 809,34 euros.

MADEIRA É UMA DAS ILHAS MAIS “FASCINANTES” DO MUNDO

A edição espanhola da prestigiada revista Condé Nast Traveler distinguiu as “ilhas mais fascinantes” do mundo onde o visitante se pode “perder com prazer”. A seleta lista de 13 ilhas inclui a portuguesa ilha da Madeira. Segundo o site da revista, a ilha da Madeira apresenta “um azul Atlântico invejável”, assim como uma “privilegiada situação devido à corrente do Golfo”: Um destino ideal para aqueles que querem sentir a brisa suave e “viciante” da ilha portuguesa. A revista especializada em ‘lifestyle’ aconselha uma visita pela ilha madeirense a cavalo, por exemplo, para apreciar o contraste das paisagens, num passeio “onde se perde a noção do tempo”, refere o artigo.

 

ENTRADA LIVRE: SÁBADOS DESPORTIVOS EM LISBOA

Até ao mês de Outubro, os sábados lisboetas estão cheios de energia. Durante 25 semanas, o programa Lisboa Vai ao Parque, de entrada livre, oferece aulas de ginástica, yoga, jogos e insufláveis, entre outras iniciativas saudáveis. O programa oferece várias atividades lúdico-desportivas ao ar livre (Ginástica, Judo, Karaté, Yoga, Corrida, Jogos Tradicionais, Gincanas de Bicicleta, Música, Rastreios de saúde, Atividades com cavalos e segways, e muitas outras) que decorrem em simultâneo em dois parques de Lisboa, durante 25 semanas, de Abril a Outubro (com interrupção no mês de Agosto). No próximo sábado, dia 4 de Julho, as atividades decorrem na Tapada das Necessidades (freguesia da Estrela) e no Parque Recreativo do Calhau (freguesia de São Domingos de Benfica), das 15 às 19h. Na Tapada das Necessidades, o programa inclui: jogos tradicionais, jogos com bola, zumba, yoga e insufláveis, enquanto no Parque Recreativo do Calhau, as atividades resumem-se a jogos tradicionais, capoeira, yoga, para adultos e crianças, xadrez e outras ações.

VINHOS: PORTUGAL BRILHA NA CAPA DA “WINE SPECTATOR”

O Portugal vinícola é a estrela da edição de Julho da prestigiada revista norte-americana Wine Spectator. A publicação dedicou a capa – ilustrada com uma paisagem do Douro em que sobressaem um barco rabelo e a Ribeira do Porto -, ao futuro daquela que descreve como “uma das nações produtoras de vinho mais dinâmicas do mundo”. De acordo com a Wine Spectator, “a mudança está a varrer esta nação histórica, com quintas renovadas e uma nova geração de produtores a competir e colaborar” ao longo de “extensões de terreno estonteantes” onde se produzem vinhos com variedades “fantásticas” de uva e se utilizam técnicas de viticultura que misturam tradição e modernidade.

Contactos:

Não hesite em contactar-nos para tirar dúvidas ou pedir uma simulação de valores!